quinta-feira, 25 de novembro de 2010

REFLITAM E COMEÇEM A COMPRAR OS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL, FOMENTANDO O EMPREGO EM SEU PAÍS.

Um determinado produto que o Brasil fabrica em um milhão de unidades, uma só fábrica chinesa produz quarenta milhões.A qualidade já é equivalente,e a velocidade de reação é impressionante.Com preços que são uma fração dos praticados aqui.Quando comparados com os 100 dólares dos chineses, que recebem praticamente zero benefícios,estamos perante uma escravatura amarela e alimentando-a.O pessoal por lá é tão agradecido por ter um emprego que trabalha horas extras sabendo que não vão receber nada por isso.Atrás dessa "postura" está a grande armadilha chinesa.Não se trata de uma estratégia comercial, mas sim de uma estratégia " poder" para ganhar o mercado ocidental.Os chineses estão tirando proveito da atitude dos 'marqueteiros' ocidentais, que preferem terceirizar a produção ficando apenas com o que ela "agrega de valor": a marca.Dificilmente você adquire atualmente nas grandes redes comerciais dos Estados Unidos um produto "made in USA".É tudo "made in China", com rótulo estadunidense.Apenas lhes interessa o lucro imediato e a qualquer preço.Mesmo ao custo do fechamento das suas fábricas e do brutal desemprego. É o que pode-se chamar de "estratégia preçonhenta".Enquanto os ocidentais terceirizam as táticas e ganham no curto prazo, a China assimila essas táticas, cria unidades produtivas de alta performance, para dominar no longo prazo. Enquanto as grandes potências mercadológicas que ficam com as marcas, com os designes,suas grifes, os chineses estão ficando com a produção, assistindo estimulando e contribuindo para o desmantelamento dos já poucos parques industriais ocidentais.Em breve já não haverá mais fábricas de tênis ou de calçados pelo mundo ocidental. Só haverá na China.Então, num futuro próximo veremos os produtos chineses aumentando os seus preços, produzindo um "choque da manufatura", como aconteceu com o choque petrolífero nos anos setenta. Aí já será tarde de mais.Então o mundo perceberá que reerguer as suas fábricas terá um custo proibitivo e irá render-se ao poderio chinês.

Perceberá que alimentou um enorme dragão e acabou refém do mesmo.Dragão este que aumentará gradativamente seus preços, já que ele será quem ditará as novas leis de mercado, pois será quem manda terá o monopólio da produção.Sendo ela quem possuirá as fábricas, inventários e empregos é quem vai regular os mercados .Iremos, nós e os nossos filhos,netos,assistir a uma inversão das regras do jogo atual que terão nas economias ocidentais o impacto de uma bomba atômica, chinesa. Nessa altura em que o mundo ocidental acordar será muito tarde.Nesse dia,os executivos olharão tristemente para os esqueletos das suas antigas fábricas,e chorarão sobre as sucatas dos seus parques fabris desmontados.E então lembrarão, com muitas saudades, do tempo em que ganharam dinheiro comprando "balatinho dos esclavos" chineses, vendendo caro suas "marcas- grifes "aos seus conterrâneos. E então, entristecidos, abrirão suas "marmitas" e almoçarão as suas marcas que já deixaram de ser moda e, por isso, deixaram de ser poderosas pois foram todas copiadas.
(Luciano Pires diretor de marketing).

12 comentários:

  1. Hana estou pasma!
    Nem sei o que dizer.
    Mas fica aqui meu carinho e respeito por teu texto.

    Beijo linda.
    Fernanda.

    ResponderExcluir
  2. Oiê!!

    Concordo em gênero, número e grau, mas como mudar o comportamento de uma população que vive abaixo da linha da pobresa?
    Outro problema é a compra de objetos sem comprovar uma procedência honesta, alimentando vícios e abrindo brechas para mais violência!
    Então, vamos fazer a nossa parte e passar a "bola", não é?
    Um texto muito importante e deve servir de pesquisa para estudantes, parabéns!

    Beijos para Hana :)

    ResponderExcluir
  3. Hana,

    a China investe em alta tecnologia e este texto é bem esclarecedor do que pode acontecer. Mas também é verdade que é consequência de qualquer potência que tal como a China se torne ou venha a se tornar senhor do mundo”. É um risco real e grave.


    Beijos com carinho querida amiga!

    ResponderExcluir
  4. Muito esclarecedor esse texto.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Parabéns ao Luciano Pires e a ti,que postastes o texto dele...
    É de arrepiar!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Concordo inteiramente......e por ser dessa area, sempre vi isto dessa forma...mas acho dificil conscientizar as pessoas disso.....
    Beijos linda, ahhhhhhh e adoro mimar vc viu?Rsss

    ResponderExcluir
  7. Beijos supercarinhoso de bom dia pra ti querida,,,bom final de semana.

    ResponderExcluir
  8. Foi informativo para mim, eu realmente não sabia que "estava neste pé", penso que os zilhões de chineses deveriam desenvolver outras formas de sobrevivencia... achei tudo isso muito... sujo... bjuuu! ^^

    ResponderExcluir
  9. Belo e verídica a reportagem descrita aqui.

    ResponderExcluir
  10. Uma reportagem de suma importância. Lembro dos tempos em que os petroleiros eram os donos do mundo com o preço de seu petróleo.
    Hoje o Brasil produz seu próprio petróleo.
    Lembro-me, naquela vez houve uma maxi desvalorização da nossa moeda e em conseqüência o desemprego em massa.
    Então os brasileiros criaram os motores a álcool, (hoje etanol) que foi copiado pelo resto do mundo.
    Mas o que o Brasil tem, nem os chineses possuem, é a capacidade de criar em muitas escalas o biodiesel, isto porque os chineses não possuem em grande porte plantação de cana de açúcar e milho ou até mesmo soja.
    E o Brasil é maior país do mundo com terras necessárias para desenvolver o biodiesel, que foi inventado aqui nas escolas da USP, em Ribeirão Preto e; hoje também copiado pelo resto do mundo. Temos esta carta na manga da camisa!

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente, já tinha ouvido falar que a condições de trabalho na China são bem pesadas, sendo que lá descanso é de acordo com o tempo de casa, vulgo, você trabalho aqui durante quinze anos, só tem direito a folgar a domingo, se trabalho 25 anos, tem direito a folgar no sabado (nos dois casos são exemplos)...

    Mas tudo no final das contas é devido a cultura, sendo que num mundo globalizado, acaba que esta cultura vai acabar sendo uma colcha de retalhos de todas as cultura.

    Hua, kkk, ha, ha, penso que fiz uma confusão no meu comentários.

    Fique com Deus, menina Hana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir