quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Clarice e Drummond no Mural de Hana

Eu disse a uma amiga:
— A vida sempre superexigiu de mim. Ela disse:
— Mas lembre-se de que você também superexige da vida. Sim
Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.
Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito tempo.
Já caí inúmeras vezes, achando que não iria me reerguer,
já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais. (Clarice Lispector )

As dificuldades são o aço estrutural que entra na construção do caráter.
O cofre do banco contém apenas dinheiro. Frustar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza.
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata....
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional. (Carlos Drummond de Andrade)

15 comentários:

  1. Lindos textos e reflexões que podemos fazer deles.beijos,lindo dia,chica

    ResponderExcluir
  2. Querida Hana agradeço o carinho com que enche o meu blog sempre que por lá passa :).

    Quanto ao post em questão, concordo com as palavras mas ainda não as consigo colocar totalmente em prática. Não é que não queira só que por vezes parece que bloqueio face a isso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Hana, apenas não deixe de sorrir nunca.
    Você esta bem?
    Melhorou?
    Espero que me digas SIM.
    Beijosssssss lindaaaaaaaaaa.

    ResponderExcluir
  4. Hana,

    você fez um recorte de dois grandes e sábios poetas! Ameiiiiii! Obrigada.


    * Está melhor, amiga? Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  5. Ese sim é um mural de respeito. Parabéns.Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá HANA!
    Texto muito reflectivo, foi um prazer lê-lo.
    As coisas mais valiosas do mundo não se podem tocar, devem ser sentidas com o coração.
    Bjis
    J

    ResponderExcluir
  7. E assim com estas duas feras da literatua, vamos refletindo e inspirando.Bela oportuna postagem Hana.Beijo de luz.

    ResponderExcluir
  8. Uma composição mais que perfeita, O Drummond e a Clarice. maravilha! Adorei!

    Faço votos que estejas bem melhor.

    Beijos e que fiques na paz de DEUS.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  9. lindo!!!
    realmente nos faz questionar, pensar, e tentar por em prática.
    eu ainda estou tentando....
    abraços!

    ResponderExcluir
  10. Mas que responsabilidade, ein? Usar esses nomes de peso ao mesmo tempo num post... requer coragem e talento, e isso você demonstrou ter de sobra. Parabéns, e muitíssimo obrigado pelo carinho no blog. Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Olá, Hana. À luz de Clarice e Drummond - salve!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."

    Que trecho mais complexo esse heim... estou a refletir nisso, pois quando se tem um defeito o mesmo está atrelado a outros valores ... então pode realmente derrubar um edifício ... Eta coisa complicada esse expurgar! Beijo Hana!

    ResponderExcluir
  13. Clarice...Drumoond...é preciso dizer algo?

    Ana

    www.letrasproibidas.blogger.com.br

    ResponderExcluir
  14. Isso aqui está cada dia mais lindo e educativo ao espírito!!! Amo você, amiga!!!

    Tenha um belo fim de semana!!!

    ResponderExcluir
  15. Reflexões curtas e profundas.

    Anjo no Oriente, beijo, sempre!!!

    ResponderExcluir